Desconto no hotel e Budweiser na faixa: dessa vez nos demos bem

Faz tres dias que alugamos um carro e estamos descendo de Washington rumo a New Orleans. Ja rodamos mais de mil quilometros e ainda nao vimos sequer um motorista apavorando pela pista da esquerda, colando na bunda dos outros e dando farol alto alucinadamente como se estivesse indo tirar a mae da forca. Ainda nao vimos uma fechada sequer, uma batida, uma ultrapassagem pela direita, um buraco no asfalto, um congestionamento…

Pra nao dizer que nao vimos ninguem acima do limite de velocidade, as pessoas dirigem a no maximo 5 milhas por hora alem do permitido (e olha que o limite eh irritantemente baixo, 70 mph nos trechos mais rapidos, ou seja, 112 km/h). A unica pessoa que eu vi abusar foi eu mesmo, numa scenic drive dentro de um parque nacional, onde o limite era 35 e o guarda florestal me flagrou a 52. Veio atras, ligou a sirene, eu encostei… Me senti num filme. A Maria ja apavorada. “Ai, meu Deus…”. Mas o cara foi uma simpatia. So faltou pedir desculpa por incomodar. Disse que nao ia multar, porque so estava preocupado com nossa seguranca e queria que andassemos mais devagar dali pra frente. E nao eh so ele, nao. Todo mundo cumprimenta, deseja bom dia, puxa papo, sorri.

E foi assim, sendo bem tratado, ouvindo boa musica e curtindo paisagens maravilhosas que o carro confortavel e a estrada bem conservada permitem admirar,  que chegamos a Nashville, o berco da musica country, nascida da mistura do blues dos afro-americanos com o folk dos irlandeses e escoceses. Aprendemos isso hoje, lendo o Lonely Planet. Grande companheiro…

Conseguimos um desconto num desses “motels” de beira de estrada e ainda ganhamos quatro cervejas de cortesia. OK, eh Budweiser, mas ta valendo. Agora com licenca que vou abrir a segunda Bud e partir pra Downtown atras de uma boa musica caipira (quem diria…) e de um autentico BBQ sulista, do jeito que a Marili, que mora aqui nos EUA e eh uma de nossas leitoras mais assiduas, recomendou.

No frigir dos ovos, este post foi so para dizer que, deixando a ideologia e os preconceitos de lado, este aqui eh um lugar bem legal de se visitar. Se voce ja ouviu falar mal dos EUA e nunca veio pra ca, tente juntar um dinheiro e vir. Aproveite que o dolar esta barato.

Sobre Julio Cruz Neto

Escritor, documentarista e jornalista
Esse post foi publicado em Sem classificação. Bookmark o link permanente.

3 respostas para Desconto no hotel e Budweiser na faixa: dessa vez nos demos bem

  1. mariacastilho disse:

    A cidadania dos americanos tem me deixado bem feliz de vir para um destino que nao estava nos meus planos atuais. Queria vir pra cah soh pra visitar uma amiga especial… Soh!
    Me deparei com muitas coisas alucinantes, impares e deslumbrantes… O que? Aguardem o proximo post !!!

  2. marize muniz disse:

    eu, que estou no time dos que detestam os norte-americanos, tô quase mudando de ideia. Quer dizer que aí vale o ditado popular brasileiro SIMPATIA É QUASE AMOR???? Todos sorriem, dizem bom dia. Que lindo. NO meu predio nem minha vizinha me cumprimenta.

  3. Prima Ligia disse:

    tirar a mãe da forca é bondade sua hein!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s