Gentleman Jack, para os íntimos

Para os apreciadores da famosa bebida fermentada de milho, cevada e centeio, é uma visita obrigatória. Para os demais, um passeio interessante e diferente. E para todos aqueles não acostumados ao sotaque dos sulistas caipiras americanos, uma experiência que oscila entre o pitoresco e o irritante.

A cidade chama-se Lynchburg, um microvilarejo de 361 habitantes no estado do Tennessee que certamente poucos americanos conhecem. Mas existe ali uma linha de produção composta por 400 pessoas que fazem um dos uísques mais conhecidos e cultuados do mundo: Old nº 7 para os mais chegados, aqueles que já dedicaram alguns minutos da vida admirando o famoso rótulo negro. Para os demais, simplesmente Jack Daniel’s.

A destilaria fica num canto escondido, fora dos roteiros tradicionais. Mas nós, apesar do tempo contado para descer de New York até New Orleans, resolvemos desviar a rota entre Nashville e Memphis para chegar lá. Valeu a pena.

O início foi um pouco desanimador porque não sabíamos que a guia falaria tennesseenês em vez de inglês. Nem que ela não teria a menor paciência de repetir informações para quem não entendesse. “Eu falo inglês. Estou há 3 semanas nesse país e você é a primeira pessoa que eu não entendo”, disse eu, depois que ela fez cu doce para tirar uma dúvida. “Aqui nós não falamos inglês, falamos americano. E cada estado fala um americano diferente. E nós americanos não gostamos de aprender outros idiomas”.

Depois dessa, vi que seria inútil argumentar e resolvi fazer amigos no grupo – média etária em torno de 70 anos – para satisfazer minhas curiosidades. Assim foi até o fim, quando, depois de sentir o aroma de Jack em várias fases de produção sem tomar uma gota sequer – a lei local não permite –, entrei sedento na lojinha do museu e comprei uma garrafa de Gentleman Jack, número 11.338.

Trata-se de uma edição especial não vendida no Brasil, que colocamos na mala rezando pra nenhum raio X ou funcionário de alfândega invocado estragar nosso barato.

Deu certo, ele está aqui em casa e acabo de matar o primeiro shot. Agora vou provar a segunda dose, on the rocks, e qualquer hora eu volto pra contar o que o Gentleman Jack tem de especial, explicar por que este uísque não é considerado um bourbon e mais detalhes sobre a destilaria registrada mais antiga dos EUA, fundada em 1866 por sir Jack Daniel, um empreendedor e tanto. Cheers!

Sobre Julio Cruz Neto

Escritor, documentarista e jornalista
Esse post foi publicado em Sem classificação e marcado , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s