Water in the mouth (sic)

Quem acompanha o blog sabe que comemos bastante arroz e feijão nos EUA. Mas isso não significa que abrimos mão do bom e velho cheeseburger. E como domingo é “o” dia pra comer um belo X-salada, segue nosso ranking pra te inspirar, e também pra servir de sugestão para quem estiver de malas prontas pra lá, pra comprar muambas de final de ano. E quem tiver outras dicas, por favor acrescente nos comentários que depois nós atualizamos no post.

1) Royal Oak Tavern (Front Royal, Virginia)
O cheeseburger com cogumelos e cebola é simplesmente perfeito. Como manda a tradição por aqui, o hamburguer é grosso e encorpado, mas extremamente macio porque o miolo é mal passado na medida certa, naquele tom rosado que não chega a ser cru, mas realça o sabor da carne. Se quiser uma versão mais hot, o queijo certo é o pepperjack cheese. Front Royal é parada certa para quem for visitar o belo Shenandoah National Park, nos arredores de Washington.

2) Mel’s Burger (Upper West Side, New York)
O Baby é ideal, e não só para crianças. Menor que de costume, parece insuficiente para matar a fome num primeiro momento. Mas depois você descobre que é na medida certa para sair satisfeito e não empanturrado (principalmente se você acompanhar com frutas e arrematar com o gigantesco pedaço de torta de chocolate que servem de sobremesa. Mas o diferencial mesmo deste sanduba é o pão, feito com batata. Incrivel.

3) Metro Diner (Upper West Side, New York)
Não chega a dar agua na boca, mas é bem honesto. E se a fome for maior, tem uma costela ao molho barbecue que é muitíssimo bem servida. Peça half rib que é mais que suficiente.

4) Silky O’Sullivan (Memphis, Tennessee)
Este pub irlandês propagandeia na fachada que serve o melhor hamburguer do mundo, mas é só pra turista, ou pra inglês, ver. Pra matar a larica na madrugada, depois de se fartar de cerveja e uísque nos bares de Beale Street, tá valendo, mas não é nada demais. E ainda servem com batata chips, em vez de batata frita de verdade. A vantagem é o preço. Tanto o Silky Burger quanto o BBQ Burger, servido com molho barbecue, custam 7 dólares.

Comemos alguns outros que não merecem registro. Estar nos Estados Unidos não é garantia de comer hamburguer bom, assim como comer crepe em carrinhos de rua na França e paella em locais turísticos de Madri, apenas para citar algumas decepções recentes.

Metro Dinner: hamburguer honesto, mas há outros bem melhores

Sobre Julio Cruz Neto

Escritor, documentarista e jornalista
Esse post foi publicado em Sem classificação e marcado , , , , , . Guardar link permanente.

2 respostas para Water in the mouth (sic)

  1. cacalo disse:

    sabe que eu chego a ficar com pena tão mal vocês estão passando? que triste…
    beijos,

  2. Julio disse:

    Estamos mesmo, afinal já voltamos. Esses posts são rescaldos de coisas que não conseguimos escrever durante a viagem. E tem muito mais ainda. Acompanhe!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s